Quando o bebê completa, aproximadamente, o primeiro ano de vida, percebe que é uma pessoa e que a mãe é outra. E quando ele começa a fazer essa divisão, percebe o pai como a primeira pessoa que ele tem o conhecimento de ser uma pessoa inteira. O bebê vive esse processo de se diferenciar da mãe e também descobrir essa “terceira pessoa”, que é a figura paterna. É uma trindade que vai se formando. O pai tem uma função prioritária na vida do bebê. O esposo é aquele que gera essa mãe, essa mulher que se sente “inteira”, sustentada emocionalmente para enfrentar a etapa tão delicada da gravidez.

Eu voltaria até mesmo neste início, que é tão precioso e rico. Pense bem: até então, a criança é “pura necessidade”. Ela ainda não tem capacidade de agir para conseguir aquilo de que precisa para atender suas necessidades. Então, ao ter uma mãe que atende sua necessidade, o que a criança experimenta? Ela começa a desenvolver a confiança, que é o “germe da fé”. Ela começa a acreditar que o mundo pode vir ao encontro daquilo que ela necessita. Eu diria que o desenvolvimento dessa confiabilidade é a base da esperança, na qual a sua necessidade será atendida.
O naipe de ouros está relacionado ao elemento terra, portanto à vida material, às conquistas financeiras, profissionais e a tudo que, enfim, representa aquilo que pode ser tangível em termos materiais. No naipe de ouros existe a possibilidade de se conseguir conquistar a segurança material com trabalho, disciplina e esforço. O ser humano é ambicioso e a ambição tem relação como o naipe de ouros. Outra característica do naipe de ouros é a dedicação, o esforço, o empenho dedicados aos estudos e ao trabalho.

Esperamos desde Generación PHI que te unas a nuestra iniciativa y que participes enviándonos por ejemplo fotos que hayas sacado de eventos que te parecieron extraños y te gustaría sumar a nuestra galería de Instagram, o quizá enviarnos alguna historia de situaciones que te hayan ocurrido a vos o tus hijos y quieras compartirlas o buscar respuestas.

Para ello deberéis establecer unos signos, puede ser cualquier cosa, el ejemplo que ponemos nosotros son formas geométricas o colores. Acordad 4 o 5 de ellos y concentraos ambos. En este caso, uno de los dos deberá concentrarse en lo que quiere transmitir y el otro deberá concentrarse en recibir algo. Si uno se equivoca, os equivocáis ambos en realidad.

×